segunda-feira, 4 de maio de 2020

A cauda iônica do novo cometa SWAN

O recém-descoberto Comet SWAN já desenvolveu uma cauda impressionante.


© Gerald Rhemann (cometa SWAN)

O cometa veio do Sistema Solar externo e acabou de passar dentro da órbita da Terra. Designado oficialmente como C/2020 F8 (SWAN), este iceberg interplanetário ultrapassará a distância mais próxima da Terra (perigeu) em 13 de maio e a mais próxima do Sol (periélio) em 27 de maio.

O cometa foi notado pela primeira vez no final de março por um entusiasta da astronomia, olhando imagens pela sonda SOHO (Solar and Heliospheric Observatory) da ESA e da NASA em órbita solar, e recebeu o nome da câmera Solar Wind Anisotropies (SWAN) da sonda. 

A imagem em destaque, tirada do céu escuro da Namíbia pelo astrofotógrafo Gerald Rhemann em meados de abril, captou a coma verde brilhante do cometa SWAN e uma cauda iônica inesperadamente longa, detalhada e azul. 

Embora o brilho dos cometas seja notoriamente difícil de prever, alguns modelos fazem com que o cometa SWAN se torne brilhante o suficiente que está sendo visto a olho nu neste início do mês de Maio com a 5ª magnitude. Como o cometa está se aproximando do Sol, o seu brilho aumentará e a sua magnitude diminuirá, porém ficará cada vez mais próximo do horizonte dificultando sua visualização.

Fonte: NASA

Nenhum comentário: